quarta-feira, julho 25, 2012

Ainda Ouro Preto

Coisinhas que esqueci de contar no post anterior:
  • Já ficamos no Pouso do Chico Rey de outras feitas. Em 2007, Ana fez um arquivo pps - se usava naquela época - com imagens da pousada. Tá aqui.
  • Algumas alunas nos brindaram com ingressos para a apresentação da peça Memorial de Silêncios e Margaridas, que estava sendo apresentada na Casa da Ópera - bem do lado da nossa pousada - como parte do Festival de Inverno da cidade. Fomos. A apresentação foi fraca, mas rever a Casa da Ópera foi uma delícia. 
  • Tomamos umas cervejinhas e comemos uns petiscos no Empório dos Meninos, na Rua do Aleijadinho, pertinho da Igreja de N. S. da Conceição de Antonio Dias. O lugar é uma delícia. Atendimento bom e free wifi. Fabrício, um dos donos, nos contou que estão montando uma pousada ali mesmo. Vamos ficar de olho. Será a Pousada dos Meninos. (O site ainda não está pronto.)
  • Descobrimos um misto de brechó+bar+café do lado da Igreja do Rosário. Na calçada tocavam jazz. Sentamos dentro e esperamos um longo tempo por um pão de queijo que diziam ser dos melhores da cidade. Gostamos do pão de queijo, sim. Mas gostamos mais do lugar. É o Barroco e Barraco. Vale a visita!
  • Saímos de Ouro Preto no dia 16 de julho, dia de N. S. do Carmo. E como estávamos ali, do ladinho da igreja da festa, demos um pulinho lá antes de partir. Teve sinos e missa festiva. E durante a semana anterior, houve novena e muito bimbalhar de sinos. Ana gravou um pedacinho da "badalação" numa das vezes em que estivemos ali pra ver o belo pôr-de-sol. Taí, é só uma amostrinha, a coisa toda durava 10 minutos contados no relógio: 
video
  • Nosso carro, alugado da Unidas, ficou parado na frente da pousada durante todo o final de semana. Na segunda-feira cedinho, quem disse que ele dava partida? Espertinhas, demos uma olhada no reservatório de gasolina. Sequinho! Posto por perto? Nenhum no centro histórico, claro! O serviço de socorro da locadora disse que não podia mandar combustível, só mesmo um mecânico para detectar o problema (?). Declinamos! Ana foi de táxi a um posto  na saída da cidade e trouxe a gasolina. O carro pegou na hora. A locadora reembolsou o valor gasto com o táxi! Mas aprendemos: sempre olhar o reservatório de gasolina na hora em que o um carro alugado é apresentado. Isso já tinha acontecido conosco numa outra vez... E tínhamos esquecido a lição!
  • No caminho de volta, demos uma passadinha em Itabirito pra fazer umas comprinhas na Mercearia Paraopeba, nossa conhecida de outra viagem. A cidade fica a 40 km de Ouro Preto, em direção a Belo Horizonte. E a Mercearia vale a parada. Saímos de lá com queijos, goiabadas, docinhos y otras cositas más...
  • E pra encerrar esse capítulo da viagem, as fotos: minhas e da Ana e mais duas de bônus...
Da janela do quarto "Lili e Ninita", no Pouso do Chico Rey

Um pedacinho da Mercearia Paraopeba, em Itabirito/MG



domingo, julho 22, 2012

Pelas ladeiras de Ouro Preto


Saímos de São Paulo na sexta-feira pela manhã. 
O voo 1854 da Gol teve um pequeno atraso, mas chegamos a tempo de pegar nosso carro alugado por um precinho camarada, na Unidas, através da Mobicar. Reservamos pelo site da Rentcars. Pedimos um carro básico e tivemos um upgrade para carro com ar e direção. Na verdade o carro não era tão novinho, mas upgrade é upgrade, né gente? Ninguém reclama.
Era um Corsa Classic preto e recebeu o nome de Bituca...
A bordo do Bituca e com um mapa super detalhadinho que Ana conseguiu no balcão de informações ao turista lá no aeroporto de Confins, partimos rumo a Ouro Preto, sem passar pelo centro de BH e sem nenhum errinho pelo caminho. \o/
Estacionamos próximo ao Pouso do Chico Rey exatamente na hora da Ave Maria. Os sinos da Igreja de N.S. do Carmo nos receberam cantando, alegres.
A viagem era de trabalho, podem acreditar!
Foi uma reedição revista e diminuída dessa outra viagem, feita em 2007, que, além de Ouro Preto, incluiu Tiradentes, São João Del Rei e Congonhas. 
Dessa vez, alunos da UNESP de Assis, uns 30, chegaram na sexta-feira à noite para passar o fim de semana em Ouro Preto.
Conheceram a cidade e ouviram a leitura de alguns poemas do Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles. De quebra, curtiram a noite ouropretense e alguns eventos do Festival de Inverno da cidade.
A programação com os estudantes foi essa:

Sábado
Manhã: Igreja de São Francisco (8h30 – 11h45) e Casa de Gonzaga
Tarde: Conceição de Antônio Dias (13h30-17h) e Museu Aleijadinho (idem) + Casa de Marília

Domingo
Manhã: Casa dos Contos (10h-16h)
Tarde: Museu da Inconfidência (12h30-18h)


Cumpridas as tarefas, todos estavam livres pra fazerem os seus próprios programas.
Ana e eu subimos e descemos a Rua Direita inúmeras vezes. Comemos no Bené da Flauta e no Chafariz. E tomamos muitos cafés aqui e acolá.
Outro programa imperdível foi ver o pôr do sol das escadarias da Igreja do Carmo, do ladinho da nossa pousada. Fomos no sábado e no domingo. E avisamos os alunos pra ninguém perder o espetáculo.


No domingo, caminhamos pelo Parque Vale dos Contos. Novidade pra nós! 
A trilha que percorre o parque começa perto da Rodoviária e vai serpenteando pela montanha até a Igreja do Pilar.  Tem quadras, anfiteatro, lanchonete, banheiros. É arrumadinha, mas nos pareceu sub-aproveitada! Dá pra entrar pela Casa dos Contos, único acesso além do início e final do caminho. Haveria um acesso próximo da Praça Tiradentes, mas está desativado...


Tudo muito moderno por lá. Tem até QR Code que leva ao site do parque. Confiram:


Durante os preparativos pra viagem, os alunos criaram uma página de evento no Facebook e depois da viagem, alguns deixaram lá suas impressões sobre o fim de semana. Quem tem seu perfil por lá, pode acessar o evento aqui.